terça-feira, 26 de julho de 2011

Hortelã-Pimenta


Hoje sugiro-vos o chá de hortelã-pimenta...
Tenho em casa sempre este chá pois por vezes faço digestões difíceis e, quando isso acontece, bebo um chá morno de hortelã-pimenta, sem açúcar, e sinto-me bem melhor. No Verão junto-lhe umas pedrinhas de gelo e fica uma bebida bem refrescante com sabor a menta... é muito bom!! :)


Esta maravilhosa planta tem como nome cientifico (Mentha piperita). Recomenda-se em debilidades do estômago, cólicas e vómitos. Do mesmo modo que o alecrim e a cânfora, usa-se para irritações cutâneas e constipações, dores de cabeça e dor de dentes (mastigar a folha). As folhas da hortelã pimenta em chá (infusão), empregam-se contra a insónia e excitação nervosa. Os talos triturados são eficazes contra picadas de insectos.
As folhas frescas em infusão facilitam a digestão. É uma erva verde-intenso e aroma refrescante; é tónica, estimulante e estomacal. Actua sobre os nervos como um sedativo, cura as dores de dentes (uma gota de hortelã-pimenta num algodão sobre a carie), evita pés frios (pondo umas folhas de menta entre os pés e as meias).
 Devolve o vigor a todos os órgãos, beneficiando os nervos, o coração, o aparelho digestivo (contra náuseas, fadiga, gases, úlceras), figado e pâncreas. É boa para o aparelho respiratório (tosse, asma, bronquite) e actua nas doenças infecciosas como bactericida e anti-séptico, é anestésica e ao mastigâ-Ia cura dores de gengivas e dentes.


Para feridas, inflamações, reumatismo, gota, etc., é um excelente remédio e pode ser um tratamento alternativo para o hirsutismo.


A hortelã pimenta não se deve consumir durante a gravídez, especialmente mulheres com história de abortos expontâneos, nem administrar a menores de cinco anos. É um bálsamo que regulariza as funções do estômago, do fígado, da vesícula biliar e dos intestinos. Combate espasmos estomacais, vómitos e cólicas.

Texto retirado daqui


Foto retirada da net

Erva medicinal e culinária
Símbolo de hospitalidade e sabedoria, a hortelã tem sido tradicionalmente usada como uma erva medicinal e culinária. Os gregos e os egípcios utilizavam-na como estimulante e tónico nervoso. O próprio imperador Carlos Magno decretou a hortelã como uma planta a proteger, numa atitude de pioneirismo ecológico. A medicina ayurvédica indiana utiliza-a para tratar feridas bucais, náuseas, promover a digestão e aliviar infecções respiratórias. Nós por cá, utilizamos tradicionalmente a infusão para acalmar distúrbios estomacais e ajudar a digestão de refeições pesadas.
A hortelã fresca é usada para aromatizar receitas culinárias, aplicação que provavelmente adquirimos da cultura árabe.
(...)
O óleo actua, estimulando a secreção de sucos digestivos e da bílis, diminuindo a formação de gases e a flatulência, bem como a ocorrência de diarreias. Como relaxa os músculos da parede intestinal e atenua as contracções do aparelho digestivo pode aliviar os sintomas do síndroma do cólon irritável. Estimula ainda a produção de saliva, favorece o apetite, elimina o mau hálito e reduz as náuseas.
Texto retirado daqui

4 comentários:

paty disse...

Adorei o teu blogue Sofia, desejo-te muita sorte para o teu cantinho que já está recheado de delicias :))Quero agradecer-te todos os comentários e carinhos que me tens deixado no meu blogue, és muito simpática!Já sou tua seguidora e virei visitar-te sempre que puder.Beijinho grande

Sofia.Lopez disse...

Obrigada eu Paty, pela tua simpatia e força! Fico muito feliz que tenhas gostado :)
Vem sempre que puderes, fico à tua espera :)
Beijinhos

SarinhaT - No Conforto da Minha Cozinha... disse...

Gostei de saber mais sobre a hortalã pimenta :) hehe.
O teu blogue está girissimo, obrigado por sempre visitares o meu. Beijocas grandes*

Sofia.Lopez disse...

Olá Sarinha,
Obrigada pelo teu comentário e por teres vindo conhecer o meu novo blog! Fico muito feliz de te ter por aqui :)
Beijinhos grandes e volta sempre :)